FELIZ 2008 SUSTENTÁVEL!

 

 

     

Feliz Ano Novo!!!


Mais um ano se vai, e um outro ano,
Anuncia-se, e mantemos a esperança,
Que ele venha repleto de bonança,
Sem agrura, sem dor, sem desengano,
Livre do mal, do vil e do profano,
Pleno de luz, de paz, e de calor,
E nele, homens cheios de amor,
Pratiquem a santa solidariedade,
Erradicando da humanidade,
A miséria, a guerra, a fome, a dor.

Que traga ele, ao seu primeiro albor,
A luminescente e clara luz divina,
Que purifica o homem, e o ilumina,
E que chegue tirando do torpor
As velhas mentes cheias de bolor
Que detém o poder que nos controla,
Disseminado o mal que nos assola,
Em todas as suas formas conhecidas,
Guerras saqueadoras e fratricidas,
Enquanto a terra se deteriora.

E que ao novo dia, após a aurora,
Suba ao céu um sol novo e vigoroso,
Cujos raios destruam o belicoso
Espírito do mal que impera agora.
E sucessivamente, hora após hora,
Na subida ao zênite vá queimando
Os males que viemos acumulando
Sobre nós, insensatos, imprudentes,
Para que possamos finalmente
Repararmos o passado tão nefando.

http://www.usinadeletras.com.br/exibelotexto.php?cod=7024&cat=Cordel&vinda=S

 

 

APRENDENDO A APRENDER

Ferreira Gullar


Ano Novo

Meia-noite. Fim
de um ano, início
de outro. Olho o céu:
nenhum indício.

Olho o céu:
o abismo vence o
olhar. O mesmo
espantoso silêncio
da Via Láctea feito
um ectoplasma
sobre a minha cabeça:
nada ali indica
que um ano novo começa.

E não começa
nem no céu nem no chão
do planeta:
começa no coração.

Começa como a esperança
de vida melhor
que entre os astros
não se escuta
nem se vê
nem pode haver:
que isso é coisa de homem
esse bicho
estelar
que sonha
(e luta).



Fonte: Melhores Poemas, de Ferreira Gullar, p.190.

http://www.correiodatarde.com.br/colunistas/artigos/impressao/25409 

 

 

2007: balanço de fim de ano

Começa no coração.
(Ferreira Gullar)

Para ser começo tudo tem que se iniciar no coração.
Lá é o depósito dos valiosos balanços,
Lá é onde se dá o refúgio das nossas forças,
Lá é de onde se vislumbra o raiar de um novo tempo.

Para ser recomeço, pesando de verdade nossos atos,
Temos que nos abancar no centro das coisas,
Despir-nos das vestes da pressa, rasgar o simulacro
De açoite das palavras, amaciar nossos gestos e velar.

Velar para que o broto rebrote das cinzas das horas.
Horas em que enterramos o sorriso, e não soubemos colher.
Pois a colheita nunca será fruto da terra arrasada.
Para ser balanço, e nunca fim, temos que ocupar o coração.

Um ano é muito para o condão da melancolia,
E muito pouco para edificarmos uma comunidade fraterna.
Por isso é preciso ter forças para recomeçar,
Por isso é mais do que necessário convocar a todos.

Homens, mulheres e crianças, tangidos pelo sonho.
Um único e fraterno sonho. De nos fazermos, cada vez mais,
Uma nação melhor, mais solidária, mais justa.
Enfim, de Gente mais Gente. Enfrente! Vamos em frente!

http://www.correiodatarde.com.br/colunistas/artigos/impressao/25409

 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, CACAPAVA, VILA ANTONIO AUGUSTO LUIZ, Mulher, Portuguese, English, Livros, Música
Visitante número: